Documentos Digitais: o que mudou?

Você já deve saber que houve diversas mudanças em alguma áreas por conta da nova lei de liberdade econômica.

Uma dessas mudanças permitiu que o armazenamento de documentos fosse modernizado e pudesse se tornar um serviço mais prático.

E eu vou contar para você o que mudou nessa área.

Como era o armazenamento de documentos?

Documentos físicos não podiam ser descartados pois tinha valores jurídicos.  Mas os documentos digitais já podiam ser utilizados desde 2012. A digitalização e armazenamento em meio eletrônico de documentos públicos – no entanto, não previa que “constatada a integridade do documento digital, o original poderá ser destruído, ressalvados os documentos de valor histórico”. 

Em meio aos inúmeros processos burocráticos que perfazem a rotina de uma empresa, a gestão de documentos é uma das mais importantes quando o assunto é a regularidade, organização e segurança das atividades.

Um dos pontos mais marcantes da adoção do modelo de documentos digitais é a redução de custos. A gestão também é importante pois melhora bastante a organização dos documentos da empresa, uma vez que o formato digital, além de deter uma grande validade jurídica, otimiza sobremaneira o envio, o recebimento, o arquivamento e eventuais pesquisas para acessá-los, caso necessário.

O que mudou depois da nova lei?

A Lei prevê, ainda, diferente do que havia sido vetado em 2012, que ato do Ministério da Economia estabelecerá os documentos cuja reprodução conterá código de autenticação verificável.

Além disso, o Conselho Monetário Nacional deverá definir, também por ato, quais documentos sobre operações e transações financeiras poderão ser destruídos.

Documentos públicos digitais

A lei sancionada autoriza a digitalização de diversos tipos de documentos, incluindo, documentos públicos. Foi autorizado o armazenamento, em meio eletrônico ou equivalente, de documentos públicos ou privados, compostos por dados ou por imagens, observado o disposto nesta Lei, nas legislações específicas e no regulamento seguinte:

  • Após a digitalização, será verificado a integridade do documento digital nos termos estabelecidos no regulamento, o original poderá ser destruído, ressalvados os documentos de valor histórico, cuja preservação observará o disposto na legislação específica;
  • O documento digital e a sua reprodução, em qualquer meio, realizada de acordo com o disposto nesta Lei e na legislação específica, terão o mesmo valor do documento original, para todos os fins de direito, inclusive para atender ao poder fiscalizatório do Estado;
  • Decorridos os respectivos prazos de decadência ou de prescrição, os documentos armazenados em meio eletrônico ou equivalente poderão ser eliminados;
  • Os documentos digitalizados conforme o disposto neste artigo terão o mesmo efeito jurídico conferido aos documentos microfilmados, nos termos da Lei nº 5.433, de 8 de maio de 1968, e de regulamentação posterior;
  • Ato do Secretário de Governo Digital da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia estabelecerá os documentos cuja reprodução conterá código de autenticação verificável;
  • O Ato do Conselho Monetário Nacional usará o cumprimento do 1º artigo da lei, relativamente aos documentos referentes a operações e transações realizadas no sistema financeiro nacional;
  • É permitido a reprodução de documento digital, em papel ou em qualquer outro meio físico, que contiver mecanismo de verificação de integridade e autenticidade, na maneira e com a técnica definidas pelo mercado, e cabe ao particular a obrigação de demonstrar integralmente a presença de tais requisitos;
  • Para a garantia de preservação da integridade, da autenticidade e da confidencialidade.
Registros públicos em meio eletrônico

A lei prevê que registros públicos, realizados em cartório, podem ser escriturados, publicados e conservados em meio eletrônico. Entre os registros que podem atender às novas regras estão o registro civil de pessoas naturais, o de constituição de pessoas jurídicas; e o registro de imóveis.

O que achou dessa mudança? Trouxe alguma alteração para seu dia-a-dia no trabalho? Conte para mim, deixe um comentário.

Não se esqueça de acompanhar nosso Blog e Redes Sociais.


 

Você precisa da Prática Contábil para trabalhar na área?

Que tal absorver 12 anos de conhecimento na área em pouco tempo?

Você pode ter acesso a um atalho para dominar Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido

Se você está em busca de conhecimento para conquistar um bom emprego ou estar pronto para as oportunidades, clique no link abaixo e conheça o caminho mais rápido para ter a Prática Contábil.

CONHECER

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *