Gestante aprendiz tem direito à estabilidade? Confira.

Tempo de leitura: 3 minutos

No Brasil, existem leis trabalhistas específicas para cada caso, como por exemplo, no direito ao primeiro emprego do jovem e da gestante aprendiz.

É importante conhecer essas particularidades para que todos os colaboradores tenham os seus direitos e deveres garantidos em uma organização. Portanto, devemos saber mais sobre a estabilidade das gestantes aprendizes também.

Quem é a gestante aprendiz?

É quando uma jovem é contratada em uma empresa mediante o programa de aprendizagem e fica grávida durante esse período. Nesses casos, elas possuem os direitos iguais aos das outras colaboradoras gestantes, inclusive a estabilidade.

O termo aprendiz, refere-se ao contrato de trabalho onde é estabelecido o vínculo entre o empregador e os jovens maiores de 14 anos e menores de 24 anos inscritos no programa de aprendizagem e formação técnico-profissional metódica.

Quais são os direitos da gestante aprendiz?

A proteção à gestante aprendiz é assegurada por lei pela Constituição Federal (em resumo):

– A empregada gestante tem o direito de usufruir de estabilidade provisória desde o momento da confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. (Art. 10 da Constituição Federal de 1988).

-Fica vedada a dispensa arbitrária ou sem justa causa, da empregada gestante, desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto. (Art. 10 da Constituição Federal de 1988).

– O desconhecimento do estado gravídico pelo empregador não afasta o direito ao pagamento da indenização decorrente da estabilidade. (Art. 10 da Súmula n° 244).

Inicialmente, a lei não especifica quais são as extensões dos direitos de proteção da maternidade da gestante aprendiz, apenas foi citado na Súmula do TST a possibilidade da aplicação de estabilidade de emprego no contrato de aprendizado (nesse caso, válido por dois anos).

Como funciona a estabilidade da jovem aprendiz?

A jovem aprendiz que ficar grávida no período do contrato de aprendizagem, passa a ter todos os direitos garantidos por lei às demais empregadas gestantes, incluindo também:

– Direito à estabilidade no contrato referente a 150 dias – cinco meses – após o nascimento da criança.

– Direito ao afastamento e período de gozo da licença maternidade.

– A subsistência e a sua remuneração devem ser mantidas.

– O direito à reintegração ao trabalho, em caso de dispensa arbitrária.

A estabilidade foi estendida à gestante aprendiz, porque trata-se da possibilidade de desenvolvimento saudável da criança, ainda nos primeiros meses de vida.

Término da estabilidade dentro e após a vigência do Programa de Aprendizagem

Durante o período da licença maternidade, fica garantido o retorno ao mesmo programa de aprendizagem, caso ainda esteja em curso.

Na hipótese de o contrato de aprendizagem alcançar o seu termo final durante o período de estabilidade, deverá o empregador promover um aditivo ao contrato, prorrogando-o até o último dia do período da estabilidade.

Contrato de trabalho do jovem aprendiz

O programa jovem aprendiz foi criado pelo governo federal e possui respaldo na Consolidação das Leis Trabalhistas para ser cumprido, incentivando ao primeiro emprego e à interação entre empregadores e à sociedade.

De acordo com o artigo 402 da CLT, considera-se menor aprendiz todo jovem de 14 até 24 anos (exceto pessoas com deficiência, onde a idade pode exceder os 24 anos) que passa a trabalhar em uma empresa, devendo-se observar principalmente:

– O local de trabalho não deve prejudicar a formação física, moral e psicológica do jovem;

– Os horários de trabalho não devem impedi-lo de frequentar a escola normalmente;

– A jornada de trabalho não pode ultrapassar seis horas diárias, resultando em 30 horas semanais – se ele já tiver concluído o ensino fundamental, as horas de trabalho podem ser de oito horas diárias (incluindo atividades teóricas durante a jornada).

– O contrato do jovem aprendiz é válido por dois anos;

Depois de confirmado o contrato, o empregador deve assinar a carteira do jovem ou da gestante aprendiz de acordo com a Lei, realizando inclusive o recolhimento do seu INSS para o futuro.

Conheça o passo a passo de uma admissão aqui.

E-book gratuito com tudo que você precisa dominar para ser um verdadeiro Contador Profissional.

Você gostaria de ter a Prática Contábil?

Dominar as atividades do dia a dia de um contador e atuar na área Fiscal, Contábil e Legal da contabilidade?

Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Criamos um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, CLIQUE AQUI e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil