eSocial: O que substituiu e como será?

Tempo de leitura: 2 minutos

Em setembro de 2019, a MP da liberdade econômica se transformou na lei 13.874, trazendo diversas alterações para o Código Civil, na CLT, revogação do eSocial e aspectos fiscais. O objetivo é estabelecer normas de proteção à livre iniciativa e ao livre exercício da atividade econômica.

Mas a mudança mais comentada foi ao fim do eSocial, programa de escrituração digital bastante comentado nos últimos anos, que foi desenvolvido conjuntamente pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, que inclui a Secretaria de Previdência, Secretaria de Trabalho e o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade; Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, todas vinculadas ao Ministério da Economia.

Como era o eSocial?

O eSocial englobava as informações enviadas por meio de declarações como CAGED, RAIS, GFIP e DIRF. Isso facilitava a vida dos profissionais de contabilidade.

Além da folha de pagamento, era pelo menos 14 os itens compreendidos dentro do eSocial. Antes dessa implantação tudo era cobrado individualmente. Com o eSocial, tudo era entregue de uma só vez e ficava disponível online. Os itens eram:

  • Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED)
  • Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP)
  • Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)
  • Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT)
  • Livro de Registro de Empregados (LRE)
  • Relação Anual de Informações Sociais (RAIS)
  • Comunicação de Dispensa (CD)
  • Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP)
  • Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais (DCTF)
  • Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF)
  • Quadro de Horário de Trabalho (QHT)
  • Manual Normativo de Arquivos Digitais (MANAD)
  • Guia da Previdência Social (GPS)
  • Guia de Recolhimento do FGTS (GRF)

O que será no novo eSocial?

O Sistema de Escrituração da Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, eSocial, será substituído por sistema simplificado de escrituração digital de obrigações previdenciárias, trabalhistas e fiscais.

E com a alteração, o objetivo do Governo Brasileiro irá deixar o sistema mais enxuto, mais simples e fácil de utilizar. E também, o novo sistema exigirá menos informações de pequenas e médias empresas e que haverá simplificações para empregadores domésticos.

Entre as alterações a serem feitas nos próximos meses está a retirada de informações duplicadas ou que não são exigidas por lei, como número do RG, título de eleitor e NIT/PIS – os dados cadastrais serão concentrados no CPF.

Portanto, foi suspensa a obrigatoriedade das empresas apresentarem informações de saúde e segurança de trabalho. Mas os dados básicos, como informações de folha de pagamento e férias, por exemplo, serão mantidas. Permanece ainda a obrigação de prestar informações sobre acidentes de trabalho.

Os profissionais de contabilidade devem estar atentos à essas alterações para informar os seus clientes.

Por isso, o Viver de Contabilidade prepara diariamente conteúdos relevantes para você. Não deixe de acompanhar nosso Blog.

E-book gratuito com tudo que você precisa dominar para ser um verdadeiro Contador Profissional.

Você gostaria de ter a Prática Contábil?

Dominar as atividades do dia a dia de um contador e atuar na área Fiscal, Contábil e Legal da contabilidade?

Imaginou aprender 10 anos de Prática Contábil em poucas semanas?

Criamos um programa completo que ensina tudo que um contador precisa saber no dia a dia, Rotinas Fiscais, Abertura, Alteração e Encerramento de empresas, tudo sobre Imposto de Renda, MEIs, Simples Nacional, Lucro Presumido, enfim, TUDO que você precisa saber para se tornar um Profissional Contábil Qualificado.

Se você precisa da Prática Contábil, clique aqui e entenda como aprender tudo isso e se tornar um verdadeiro profissional contábil