Projeto prevê auxílio para trabalhadores em home-office

Tempo de leitura: 2 minutos

O Projeto de Lei (PL) 5341/20, da Câmara dos Deputados, propõe a criação do “Auxílio Home-Office”, um benefício que deve ser pago pelos empregadores aos empregados que trabalham em casa. A ideia é subsidiar 30% dos gastos relacionados à internet, energia elétrica, softwares, hardwares e infraestrutura necessárias para a eficácia do trabalho remoto.

De acordo com o autor da proposta, Márcio Marinho (Republicanos-BA), o objetivo não é colocar a responsabilidade sobre empregadores ou empregados, mas sim custear parte das despesas que, como sabemos, aumentaram já que os colaboradores estão passando mais tempo em suas residências.

Conforme estabelece o texto da PL, o “Auxílio Home-Office” não possui natureza salarial, não será incorporado à remuneração e também não incidirá contribuição previdenciária, nem de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Além disso, o benefício também não será configurado como rendimento tributável do trabalhador. Entretanto, as despesas deverão ser comprovadas pelos funcionários.

Dessa forma, o “Auxílio Home-Office” deverá ser pago no mês subsequente ao que os gastos foram comprovados e, preferencialmente, junto com o salário acordado entre as partes. Segundo Marinho, acredita-se que 30% de ajuda de custo seja um parâmetro justo tanto para o empregador como para o empregado. Vale lembrar que a flexibilização da quarentena foi um fator determinante para muitas empresas passarem a adotar um modelo híbrido de trabalho, ou seja, alguns dias em casa e outros no escritório.

Trabalhar em home-office ganhou força

De acordo com estudo realizado pela Fundação Instituto de Administração (FIA), realizado em meados de 2020, o modelo home-office foi uma estratégia adotada por 46% das empresas durante a primeira onda do Coronavírus.

Os setores que se destacaram foram serviços hospitalares (53%) e indústrias (47%). Nas grandes empresas, o percentual foi de 55%, entre 31% nos pequenos negócios. No setor de comércio e serviços, 57,5% dos empregados passaram para o teletrabalho, nas pequenas empresas o percentual ficou em 52%.

O futuro do home-office

Outra pesquisa, denominada ”Pulso Covid-19 nas Empresas” e elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que 25,7% das 3,4 milhões de empresas que estavam em funcionamento na segunda quinzena do mês de agosto adotaram o trabalho remoto. Anteriormente, essa foi uma iniciativa de 32,3% das organizações e em junho chegou a 42,5% das empresas.

O isolamento social chegou ao Brasil em março do ano passado, quando grande parte dos outros países como Itália, França, China e Espanha já haviam adotado essa medida. No entanto, em junho, o País iniciou a flexibilização da quarentena. Atualmente o Estado de São Paulo retornou para a fase vermelha da quarentena, em que só os serviços essenciais são permitidos de manter o funcionamento normal. E Manaus (AM) vive um colapso na Saúde, que sofre também com a mutação da Covid-19.

Acompanhe o andamento do PL 5341/20 no site da Câmara dos Deputados.

E-book gratuito com tudo que você precisa dominar para ser um profissional de Departamento Pessoal.

Você gostaria de dominar as Regras, Normas, Leis e Atalhos do Departamento Pessoal?

Se tornar um profissional capaz de atuar na área em poucas semanas?

Você gostaria de trabalhar com Departamento Pessoal?
Já percebeu as oportunidades que essa área proporciona?

Criamos um programa completo que ensina todas as etapas do DP, desde entender os Conceitos, Regras, Normas e Leis que regem a área, até as rotinas e procedimentos como Admissão, Demissão, eSocial, FGTS, Férias, 13o Salário e tudo mais que você precisa dominar para atuar na área.

Se você pretende trabalhar com Departamento Pessoal, CLIQUE AQUI e entenda como aprender tudo isso e se tornar um profissional qualificado.