Regime tributário: como escolher o melhor?

Tempo de leitura: 3 minutos

Regime tributário: como escolher o melhor?

Como estamos praticamente no meio do ano, agora é o melhor momento para você estudar seu cliente, contador! Precisamos fazer um planejamento tributário para o próximo ano e fazer um estudo adequado do nosso cliente. E a pergunta que todos nós fazemos é: Por onde eu começo? Mesmo que seja um assunto muito complexo, nesse artigo te daremos algumas dicas de como analisar seu cliente e definir estratégias para verificar o melhor regime tributário.

Antes de falarmos sobre as dicas, precisamos ter noção dos 3 regimes mais utilizados no mundo contábil, são eles:

Simples Nacional

Esse regime é tributado por anexos e depende se a atividade é permitida. Se for permitida, nesse caso muitas vezes o limite do faturamento e as alíquotas são menores.

Nesse regime a empresa pode faturar até R$ 4,8 milhões, com alíquotas reduzidas e são pagas em um único imposto (PIS/COFINS/IPI/ICMS/ISS/IRPJ/CSLL/INSS). Porém temos que lembrar que mesmo que seja muito vantajoso, para algumas atividades os valores podem ser maiores do que se enquadradas em outros regimes; um exemplo seria o INSS patronal e assim trazendo desvantagens desse fator pela opção ao Simples Nacional.

Lucro Presumido

Lucro presumido: qualquer empresa pode aderi-lo. O IRPJ e a CSLL incidem sobre uma alíquota definida pela Receita Federal.

Além disso, a empresa pode ser enquadrada se o seu faturamento anual não for superior a R$ 78 milhões.

Lucro Real

Assim como no lucro presumido, qualquer empresa pode aderir a esse regime, mas geralmente são empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões e empresas com atividades do setor financeiro que aderem a esse regime.

Suas alíquotas são calculadas conforme o confronto de receitas e despesas. E assim sendo, é necessário ter a organização da contabilidade.

E aqui vão nossas dicas sobre como escolher o melhor regime tributário:

Tributação – Analise as possibilidades

Hoje a internet é nossa aliada. Há alguns sites que disponibilizam o estudo tributário dos três regimes acima, então precisamos realmente verificar qual a opção mais vantajosa. Por exemplo, às vezes o faturamento da empresa é menor  que R$ 78 milhões, mas pode ser que o melhor regime tributário para essa empresa seja o Lucro Real e não o Presumido.

Gastos Indiretos – Verifique seus gastos

Lembre-se que todo planejamento tributário pode gerar uma economia para a empresa, ou seja, trata-se de uma vantagem para o seu cliente. E nosso principal objetivo é reduzir os custos, não é mesmo?

Então é preciso que a contabilidade como um todo, esteja em dia para garantir que os resultados sejam os mais adequados possíveis e dessa forma, o contador contará com mais praticidade para analisar qual é o melhor regime tributário para o seu cliente.

Margem de lucro – Avalie o todo

Não se esqueça de avaliar a margem de lucro junto com o faturamento. Nessa inspeção, a opção pelo regime tributário já precisa indicar a porcentagem do lucro da empresa.  

Créditos tributários – Veja se há possibilidade

Em alguns casos as alíquotas podem ser altas, porém há a possibilidade de receber créditos tributários que podem harmonizar o recolhimento dos tributos. Isto acontece muito com quem faz a opção pelo lucro real.

 Por isso é tão necessário analisar com calma todas as situações e os tipos tributários que uma empresa poderá ter.

 Nós do Viver de Contabilidade torcemos para o seu sucesso e que você seja um contador profissional.