Simples Nacional 2018

Tempo de leitura: 3 minutos

O Simples Nacional terá mudanças a partir de janeiro de 2018, como modificações no enquadramento de vários setores, novos limites de faturamento e alterações nas alíquotas.

Confira os principais pontos:

Limites

O limite máximo de faturamento anual para empresas de pequeno porte, optantes pelo regime de tributação Simples Nacional, vai subir de R$ 3,6 milhões para R$ 4,8 milhões. O valor equivale a uma média mensal de R$ 400 mil.

Já o teto dos Microempreendedores Individuais (MEI) passará de R$ 60 mil para R$ 81 mil ao ano, com média de R$ 6,75 mil por mês.

Novas atividades

Poderão optar pelo Simples Nacional também cervejarias, vinícolas, produtores de licores e destilarias, desde que registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Reciprocidade Social

Os optantes passarão a ter acesso a linhas de crédito especiais em bancos públicos e privados. Contudo, para ter direito ao benefício, terão que contratar um jovem aprendiz ou uma pessoa portadora de deficiência.

Alíquotas

As alíquotas sobre a receita bruta mensal deixarão de existir. O percentual será maior, mas com um desconto fixo específico para cada faixa de enquadramento.

A alíquota dependerá de um cálculo que considera a receita bruta acumulada nos últimos 12 meses e o desconto fixo. Dessa forma, poderá haver aumento de carga tributária para algumas empresas e redução para outras.

Quando o fator “r”, resultado da divisão da massa salarial pelo faturamento nos últimos 12 meses, for igual ou superior a 28%, a tributação será na forma do Anexo III. Já quando for inferior a 28%, a tributação será na forma do Anexo V. Na prática, quanto maior a folha de pagamentos, menor a alíquota.

Tabelas

As novas tabelas estarão em cinco anexos e seis faixas de faturamento. Algumas empresas poderão mudar de anexo. Então, verifique em qual se enquadra e depois multiplique a receita anual pela alíquota indicada. Em seguida, é só descontar o valor apontado.

Anexo I do Simples Nacional 2018

Para empresas de comércio (lojas em geral).

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.0000,00 4% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 7,3% R$ 5.940,00
De 360.000,01 a 720.000,00 9,5% R$ 13.860,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 10,7% R$ 22.500,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,3% R$ 87.300,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 19% R$ 378.000,00

 

 

Anexo II do Simples Nacional 2018

Para indústrias (fábricas em geral).

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.0000,00 4,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 7,9% R$ 5.940,00
De 360.000,01 a 720.000,00 10% R$ 13.860,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 11,2% R$ 22.500,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 14,7% R$ 85.000,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30% R$ 720.000,00

 

Anexo III do Simples Nacional 2018

Para empresas que oferecem serviços de instalação, de reparos e de manutenção, agências de viagens, escritórios de contabilidade, academias, laboratórios, empresas de medicina e odontologia (a lista do Anexo III estará no § 5º-B, § 5º-D e § 5º-F do artigo 18 da Lei Complementar 123).

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.0000,00 6% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 11,2% R$ 9.360,00
De 360.000,01 a 720.000,00 13,5% R$ 17.640,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 16% R$ 35.640,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 21% R$ 125.640,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33% R$ 648.000,00

 

Anexo IV do Simples Nacional 2018

Para empresas que fornecem serviço de limpeza, vigilância, obras, construção de imóveis, serviços advocatícios  (a lista do Anexo IV estará no § 5º-C do artigo 18 da Lei Complementar 123).

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.0000,00 4,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 9% R$ 8.100,00
De 360.000,01 a 720.000,00 10,2% R$ 12.420,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 14% R$ 39.780,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 22% R$ 183.780,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 33% R$ 828.000,00

 

Anexo V do Simples Nacional 2018

Para empresas que fornecem serviço de auditoria, jornalismo, tecnologia, publicidade, engenharia, entre outros (a lista do Anexo IV estará no § 5º-I do artigo 18 da Lei Complementar 123).

Receita Bruta Total em 12 meses Alíquota Quanto descontar do valor recolhido
Até R$ 180.0000,00 15,5% 0
De 180.000,01 a 360.000,00 18% R$ 4.500,00
De 360.000,01 a 720.000,00 19,5% R$ 9.900,00
De 720.000,01 a 1.800.000,00 20,5% R$ 17.100,00
De 1.800.000,01 a 3.600.000,00 23% R$ 62.100,00
De 3.600.000,01 a 4.800.000,00 30,50% R$ 540.000,00

 

Mais do que nunca, será preciso um bom serviço de contabilidade para orientar bem o cliente e analisar quais ações podem beneficiá-lo com essas mudanças. Simule projeções em diversos cenários para garantir bons resultados.

Lembre-se: essas mudanças entram em vigor a partir de 1º de janeiro de 2018. Caso tenha dúvidas, consulte a Lei Complementar n° 123/2016 e a Lei Complementar n° 155/2016.

8 Comentários


  1. Excelente artigo, pra mim que me formei agora mas não estou trabalhando na área, é bom ficar atualizado.

    Parabéns.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *